Boa noite, Seja bem vindo - Sábado, 24 de Junho de 2017 - Aracaju - SE
 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
O Jornal
  QUEM SOMOS
  DESTAQUES
  POLÍCIA
  ESPORTE
  POLÍTICA
  CIDADES
  GALERIA DE FOTOS
  ANUNCIE CONOSCO
  FALE CONOSCO
 
Enquete
Padre Inaldo vai fazer uma boa adminitração em Socorro?
 
De jeito nenhum
 
Claro que sim
 
Não sei
 
 
Sábado, 24 de Junho de 2017

home / destaque
Luiza Erundina defende ampliação do passe livre na cidade de São Paulo

08/09/2016 19:13:47
Tamanho da letra


Créditos: Agência Brasil

Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil

 

A candidata à Prefeitura de São Paulo, Luiza Erudina (PSOL), abriu hoje (8) a série de sabatinas da TV Brasil em parceria com o jornal El País com os candidatos a prefeito. A entrevista, ao vivo, foi feita durante edição especial do Repórter São Paulo, às 12h30. 

Na sabatina, Luiza Erundina falou sobre a saída, partido ao qual ficou filiada  por 17 anos e foi uma das fundadoras. "Eu não sai do PT, o PT saiu de mim", disse, ao ser questionada. Em 1988, Erundina foi eleita prefeita de São Paulo pelo PT, sendo a primeira mulher a assumir o cargo.

 Depois de deixar o PT, ela foi para o PSB, onde permaneceu por 19 anos. Atualmente, é filiada ao PSOL, partido pelo qual disputa a prefeitura de São Paulo. 

No PSOL, Luiza Erundina disse que sua candidatura não estava prevista dentro do partido, mas ocorreu e foi aceita em razão da relação histórica com  a legenda. Questionada sobre o fato de a legenda não ter feito alianças com outros partidos na disputa pela prefeitura, e com isso não ter tempo na TV, Erundina disse que coerência tem um preço e que o PSOL defende que alianças não sejam feitas em torno de nomes, e sim com base em projetos e compromissos.

“Hoje não encontramos no campo progressista popular de esquerda muitas forças e ficar refém de coligação ou aliança heterogênea dá no que tem dado os governos de esquerda no Brasil. Os governos de Lula e Dilma no presidencialismo de coalizão, que, ao meu ver, está esgotado, não dá certo porque a barganha predomina e você se desvia de seus compromissos originais”, disse.

Participaram da sabatina o jornalista Eduardo Goulart de Andrade, da TV Brasil, a editora-chefe do El País, Carla Jiménez, e a subeditora do jornal, Flávia Marreiro, com medição da apresentadora do Repórter São Paulo, Márcia Dutra.

Veja outros trechos da entrevista:

Transporte público

Sobre o tema, Erundina criticou o edital de licitação proposto pelo atual prefeito Fernando Haddad. Segundo a candidata, é preciso fazer uma nova licitação para o setor, pois desde 2013 o contrato é renovado sem mudanças. “Esta licitação que está pendente é muito ruim porque propõe 20 anos de concessão, com possibilidade de renovação por mais 20 e com controle do sistema nas mãos dos concessionários. Isso não dá. É a raposa tomando conta do galinheiro”.

Para a candidata, 20 anos é um período de concessão que não condiz com a dinâmica das grandes cidades e regiões metropolitanas, como é o caso de São Paulo. “Na Europa e em países desenvolvidos essas licitações se dão no máximo por um prazo de cinco anos. Em Londres, são quatro anos. E a cada dois anos eles fazem uma nova licitação para renovar parte dos concessionários. Isso permite a incorporação de novas tecnologias, regras, planilhas de custos, e para adequar à dinâmica célere dos tempos atuais”.

Redução da velocidade nas vias públicas

Erundina disse que é a favor da redução da velocidade nas marginais, desde que seja associada a outras medidas. “A velocidade é um deles. A cidade precisa ser das pessoas, não da velocidade, dos automóveis. Tem que verificar a velocidade em cada região. Não dá para tratar a cidade como se ela fosse uma única, porque ela tem no mínimo 32 cidades que são as regiões administrativas”.

Passe livre

A candidata ressaltou que pretende ampliar o acesso ao passe livre estudantil, disponível para os alunos de escolas públicas. “O mundo inteiro está assumindo essa política. A mobilidade é um direito social e fundamental. Nesse sentido é preciso que todos tenham a possibilidade de acessar esse direito e que todos se beneficiem dele. Seja o usuário direto ou indireto é um serviço essencial e seu custo tem que ser assumido não só pelo usuário direto, mas por um auto-subsídio. Vamos fazer isso paulatinamente aos finais de semana dentro dos bairros e progressivamente vamos adequando o sistema de modo que ao final do governo a cidade toda tenha acesso. Vamos buscar outras fontes de receita, mas até o final do meu governo toda a cidade vai ter passe livre”.

Saúde

Para melhorar o sistema na capital paulista, Erundina defendeu que é preciso fortalecer a base do sistema integrando as Unidades Básicas de Saúde aos centros de especialidades de alta complexidade. “Nós vamos rever a política de concessões e terceirizações. Saúde é um direito social e um dever do Estado e não pode ficar como um produto de mercado. Com poucas exceções, as OS [organizações sociais] estruturam o sistema sem controle, com políticas diferentes e usufrui lucro, com a lógica de mercado predominando”.

Amanhã (9), o sabatinado serão João Bico (PSDC). As entrevistas são transmitidas pelo Portal EBC  e pelo site do El País.

       
03/01 - MINISTRO DA SAÚDE ENCONTRARÁ PREFEITOS SERGIPANOS NA QUINTA
08/09 - Luiza Erundina defende ampliação do passe livre na cidade de São Paulo
10/01 - Laranjeiras realiza seu XLI Encontro Cultural
07/12 - Lucas assume vaga da Comissão de Ética da CMA
21/09 - 15 ÓRGÃOS ABREM INSCRIÇÕES PARA 3,4 MIL VAGAS NESTA 2ª
18/02 - Concursos têm salários de até 22,8 mil
31/01 - Paisagem deslumbrante da Atalaia Nova é o cenário do Verão Sergipe 2013
07/12 - TRF5 divulga hoje resultado do concurso para servidores
12/11 - Inscrições para concurso da UFS estão abertas

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
l
l
l
l
                     
 
l
l
l
l
l
l
l
l
l  
 
© COPYRIGHT 2010 - GRANDEARACAJU.COM.BR - Todos os direitos reservados.
Contato: (79) 9975 - 8137